ACOMPANHANTE NO PARTO

Toda gestante tem direito a acompanhante no parto!


O Brasil ficou estarrecido após a notícia de que um médico estuprou uma mulher que estava anestesiada e prestes a entrar em trabalho de parto.


A Lei 11.108/2005, nos informa que a mulher tem direito a um acompanhante na hora do parto. Os serviços de saúde são obrigados a permitir a presença junta à parturiente, seja ele o pai ou outra pessoa indicada pela gestante durante o parto e no pós-parto.


Conhecida com Lei do Acompanhamento obriga o SUS, a rede própria ou os planos de saúde com cobertura obstetrícia a cobrir as despesas relacionadas.


Com a Covid-19, alguns hospitais proibiram acompanhantes durante o parto, porém, isso contradiz a própria OMS, que em janeiro de 2021 emitiu uma recomendação para que todas gestantes tenham direito à acompanhamento.


Se o hospital ou o plano estiverem descumprindo a lei do acompanhamento ou até mesmo a gestante que sofre uma violência obstétrica pode realizar uma denúncia no próprio hospital em que estava sendo atendida ou junto ao serviço de saúde, no caso de ser um hospital vinculado a um poder público.


DENUNCIE! A denúncia pode ser realizada junto aos conselhos de classe, de medicina ou enfermagem:


- Se for hospital do SUS ou conveniado, ligue para o telefone 136, ou procure a Secretaria de Saúde do seu estado. O Disque Saúde, que é a Ouvidoria do Ministério da Saúde.


- Se for hospital particular, ou se for atendimento por plano de saúde, procure a ouvidoria do hospital e também denuncie para a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) pelo número 0800 7019656.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo